Sobre Karina Possa Abrahão

Biomédica PhD em Ciências, Churrascos e Carnavais!!!

E o Nobel 2015 vai para…

Nobel_PrizeVocê já deve ter ouvido falar do Prêmio Nobel e também deve saber que esse prêmio honra avanços científicos e culturais. Esse prêmio é concedido anualmente em várias categorias e o laureado recebe uma medalha de ouro, um diploma e uma quantia em dinheiro que é definida pela Fundação Nobel (desde 2012 essa quantia gira em torno de 1,2 milhões de dólares). É interessante dizer que o Nobel não é atribuído postumamente.

Alfred Nobel (1833-1896) nasceu em Estocolmo, Suécia, e se tornou um famoso cientista, inventor, homem de negócios e fundador do Prêmio Nobel. Ele faleceu em 1896 na Itália. Em seu testamento destinou a maior parte de sua fortuna para ser usada como prêmios para aqueles que tivessem atingido conquistas importantes para a humanidade em áreas de física, química, fisiologia e medicina, literatura e paz. Em 1901, os primeiros prêmios foram anunciados. Continuar lendo

Anúncios

Filho e mãe: ele com os olhos dela e ela com os genes dele

Não é preciso de muita observação científica para perceber na natureza humana um padrão muito interessante: a ligação entre mãe e filho, assunto também abordado em um texto anterior do Prisma (Por que as mulheres menstruam?). Isso desenvolve-se tipicamente durante o processo da gravidez, do parto e da amamentação. Além disso, a ligação pode se dar em questões de segundos, minutos, horas, dias ou mais. É claro que essa ligação afetiva também pode ser desenvolvida para filhos não sanguíneos como no caso de uma adoção, ou com o pai da criança. No entanto, quero salientar neste texto um pouco do primeiro caso, no qual a ligação afetiva é combinada a trocas de substâncias químicas que podem alterar o organismo da mãe e do bebê irreversivelmente.

Continuar lendo

A Ciência subjuga os mitos

O Reino da Ciência (The Reign of Science 5), por Karl Konrad Huber

O Reino da Ciência (The Reign of Science 5), por Karl Konrad Huber

O ser humano tem uma necessidade quase que fisiológica de explicar as coisas: explicar de onde veio, para que serve, para onde vai, explicar a natureza e os astros etc. Alguns pensadores acreditam que o ser humano é diferente dos outros animais por ter uma capacidade única de perceber padrões. Tentamos sempre achar uma explicação para esses padrões a fim de entendermos como funciona o mundo ao nosso redor e também como nós mesmos funcionamos.

Uma maneira de explicar os padrões é através de idealizações místicas e isso acontece principalmente quando não temos acessibilidade a instrumentos para testar se as nossas explicações são coerentes para determinado fenômeno. A outra maneira é através da Ciência. A Ciência, diferente das explicações místicas, testa metodicamente suas possíveis explicações dos padrões. As explicações que reproduzem o padrão natural são aceitas, as que não, são descartadas. Portanto, a Ciência cria leis após testar as hipóteses e não se baseia em dogmas imutáveis.

Para entender isso vou relatar resumidamente uma história muito interessante da física astronômica que conta com a participação de alguns nomes bem conhecidos: o idealista Edmond Halley, o furtivo Robert Hooke e o vingativo Isaac Newton. Continuar lendo

Um mar dentro de cada célula

marcação de citoesqueleto

marcação de citoesqueleto

Atualmente a ciência vem adquirindo um poder tecnológico que permite aos pesquisadores investigar detalhes muito específicos. O intrigante, pelo menos para mim, é que com tudo que já sabemos sobre o funcionamento do nosso organismo e de outros animais: fisiologia, bioquímica, genética, comportamento etc, ainda não entendemos com profundidade como a atriz principal, a célula, exerce suas funções nos nossos tecidos, órgãos e sistemas. Isso mostra como a ciência pode avançar em sistemas mais complexos (órgãos) mesmo sem o conhecimento finito dos níveis estruturais de menor escala (tecidos e células, por exemplo). Fica isso como pensamento científico/filosófico desse texto!

O que eu quero abordar aqui é a célula. Continuar lendo

Uma hora a ciência básica esbarra na tua vida

Ciência BásicaEi, você aí! Isso, você mesmo: você sabe o que é ciência básica? Não? Pois deveria saber afinal muitas das mordomias que temos hoje em dia surgiram de conhecimentos produzidos por ela.

Ciência básica é o estudo sistemático de determinado assunto para aumentar o entendimento de aspectos fundamentais de um fenômeno. Para a ciência básica pouco importa a aplicação específica ou o produto que podem vir a ser desenvolvidos. Ciência básica é dirigida pela curiosidade. Por meio desse texto, quero mostrar que muitas mordomias atuais vieram de pesquisas muito interessantes e sem pretensão de desenvolver algum produto valioso.  Continuar lendo

Depois da festa começa a dieta (que não funciona)

Planning-your-weight-loss-diet-2-600x400E vai passando mais uma semana de festas no Brasil pois aí se vai o Carnaval minha gente! Depois de alguns exageros nas comidas e bebidas, subimos na balança para o saldo em kilogramas. A conta é simples: caso a soma das calorias ingeridas de coxinhas, sanduíches, camarões e chopp seja maior do que a soma das calorias gastas em dança, pulos, beijos e abraços, o saldo será de um indesejado aumento na sua quantidade de massa corporal. Caso a soma da ingestão seja menor que a soma gasta, você perdeu massa e aquele número da balança diminuirá. É só isso! E saibam que essa conta vale para qualquer época do ano! Continuar lendo

Khaleesi é brasileira, mas não é mãe de dragões

KalheesisPara todos os leitores do Prisma fissurados ou não no seriado Guerra dos Tronos (em inglês Game of Thrones ou, para os mais íntimos, simplesmente GOT), a ciência brasileira veio para nos encher de orgulho. É nossa, a mais nova Khaleesi.  Ela é nordestina. Os pesquisadores brasileiros Felipe de Vasconcelos Silva, Vitor Manuel de Azevedo e Helena Matthews-Cascon, do Laboratório de Invertebrados Marinhos, da Universidade Federal do Ceará, batizaram a mais nova espécie de lesma marinha como Tritonia khaleesi. Continuar lendo