Pequenos cérebros, grandes ideias – Prisma Entrevista

prismaentrevista

Você já deve ter ouvido falar de algum laboratório ou cientista que utiliza chipanzés ou outros primatas para fazer experimentos científicos e entender melhor algum fenômeno biológico também observado no ser humano. Talvez já tenha visto alguma pesquisa na televisão que empregou algum roedor como modelo de alguma doença e baseou-se neste estudo para desenvolver algum fármaco. Mas você sabia que moscas, abelhas e até vermes podem ser utilizados para compreender melhor nosso organismo e muitas dos fenômenos e características marcantes da raça humana?

Em outubro deste ano (2014) participei da 3ª edição do curso Small Brains, Big Ideas (SBBI) oferecido em Santiago e Valparaíso no Chile, com o intuito de treinar jovens cientistas da América Latina em diversas abordagens experimentais fazendo uso de animais invertebrados. O curso foi majoritariamente organizado por professores de diversas faculdades chilenas com a participação de docentes de faculdades norte americanas e inglesas. Dê uma olhada no vídeo de divulgação da 3ª edição do SBBI!

Continuar lendo

Um mar dentro de cada célula

marcação de citoesqueleto

marcação de citoesqueleto

Atualmente a ciência vem adquirindo um poder tecnológico que permite aos pesquisadores investigar detalhes muito específicos. O intrigante, pelo menos para mim, é que com tudo que já sabemos sobre o funcionamento do nosso organismo e de outros animais: fisiologia, bioquímica, genética, comportamento etc, ainda não entendemos com profundidade como a atriz principal, a célula, exerce suas funções nos nossos tecidos, órgãos e sistemas. Isso mostra como a ciência pode avançar em sistemas mais complexos (órgãos) mesmo sem o conhecimento finito dos níveis estruturais de menor escala (tecidos e células, por exemplo). Fica isso como pensamento científico/filosófico desse texto!

O que eu quero abordar aqui é a célula. Continuar lendo

Por que as mulheres menstruam?

Por Suzanne Sadedin

Estou tão feliz que você se perguntou isso, de verdade! A resposta para essa questão é uma das mais iluminadoras e perturbadoras histórias da evolução biológica humana, e quase ninguém sabe disso. Portanto, ó meus amigos, se aproximem e escutem o extraordinário conto de:

Como as mulheres começaram a menstruar. Continuar lendo

Os Corvos e a sua Guerra dos Tronos

Antes de tudo, leitor, clique aqui e deixe a música criar o clima para o texto.

Corvos são animais que para a mitologia e literatura se encontram em um espaço limítrofe entre o mundo espiritual e o mundo real, das religiões pagãs até “O Corvo” de Allan Poe, eles são vistos em geral como detentores do conhecimento místico da morte e, em algumas culturas,  como seres que carregam consigo os maus presságios pelo seu hábito necrófago e a sua cor negra. No seriado Game of Thrones (inspirado na série de livros “As Crônicas de Gelo e Fogo”) a imagem do corvo surge em alguns momentos com a sua habitual ligação mística (“o corvo de três olhos”) e em outros como o grupo de “soldados” servindo para sempre na solidão da muralha, protegendo o continente, um exército formado pela escória do mundo… E esse cara:

Sem título

Continuar lendo

Engenharia da natureza

Querido leitor do Prisma, caso você seja um aspirante a aluno de engenharia, atualmente está cursando engenharia ou já é engenheiro, tenho uma má notícia para você: existe um lodo que provavelmente faz seu trabalho melhor do que você. Calma! Não vá desistir do vestibular nem da sua prova de mecânica dos fluídos e nem queime seu registro do CREA, esse lodo já está no ramo da engenharia e logística de transporte há um bom tempo! Apresento-lhes o Physarum polycephalum.

Continuar lendo

As sete maiores descobertas científicas de 2013

Seguindo a linha da respeitada revista Science, o Prisma Científico começa o ano de 2014 relembrando o que foi feito de melhor pelos cientistas ao redor do mundo no ano passado.

Entre avanços no combate ao câncer e tornar o cérebro transparente, o ano de 2013 foi mais um ano de grandes conquistas na área científica.

Continuar lendo