A procura da felicidade vs A procura do propósito de Viktor Frankl

“O rei, em sua riqueza e saciedade dos prazeres da vida, percebia-se ainda em uma infelicidade que nenhuma comida, bebida, mulher ou maravilha do leste poderia dar fim. Pergunta a seu conselheiro “Não há, no reino, posição maior que a minha, ninguém pode mais, ou tem mais motivo que eu para estar bem. E por que eu não estou? Por que me sinto assim? E o conselheiro lhe diz “V. Majestade é um homem bom. Olhe pelo povo e encontrará um fim à sua infelicidade”.

Em 1942, o renomado psiquiatra e neurologista Viktor Frankl foi preso nos campos de concentração nazistas. Lá, ele atuou como psiquiatra por três anos antes do campo ser liberado. No seu livro “Man’s search for Meaning”, no qual descreve sua experiência nos campos, ele conta que, muitas vezes, a diferença entre as pessoas que sobreviveram e as que acabaram morrendo (não por execução, mas por outros motivos) era basicamente uma: um propósito, um significado na vida.

Viktor Frankl

Viktor Frankl

Continuar lendo

Anúncios

É a procura da felicidade que frustra a felicidade em si!

“Um homem vai ao psiquiatra. Diz que está depressivo. Diz que a vida é dura e cruel. Diz que se sente sozinho em um mundo ameaçador. O doutor diz, ‘o tratamento é simples. O palhaço Pagliacci está na cidade. Vá vê-lo. Isso vai te alegrar’. O homem inflama em prantos e diz, ‘mas doutor… Eu sou Pagliacci’… Boa Piada. Todo mundo ri. Os tambores tocam. Cortinas”

-Rorschach, Watchmen

Quando se pergunta para as pessoas qual o objetivo mais fundamental da vida, a grande maioria dirá que é a Felicidade, como diz o jargão, “o importante é ser feliz”. Estudos muito bem estruturados (experimentais, observacionais, tranversais, longitudinais e por amostragem) mostram muito claramente os benefícios de um estado de felicidade. Pessoas felizes constroem amizades mais fortes e íntimas, são mais satisfeitas em suas vidas românticas, dormem melhor, são mais criativas, têm maior sucesso no trabalho, são mais generosas e altruístas… Parece bom, não? De fato, as pessoas organizam suas vidas em torno do objetivo de ser feliz. Continuar lendo

Society for Neuroscience 2012: reportando muitas emoções!

Já falamos anteriormente, no post sobre Congressos Científicos, da importância para os pesquisadores e estudantes de pós-graduação de se expor e defender seus resultados para a comunidade científica. Comunicar e discutir os dados com os outros pesquisadores sempre pode, nos seus limites, abrir novas portas e perspectivas para as perguntas que se pretende responder.

Entre os dias 13 e 17 de outubro ocorreu o Society for Neuroscience Meeting 2012 (SFN) em New Orleans, LA, e três membros deste blog tiveram a oportunidade de comparecer para expor e discutir seus trabalhos (Cesar, Karina e Vanessa). Como maior encontro do mundo sobre Neurociências, pensamos que seria interessante trazer aos leitores algumas impressões (apenas uma pitada mesmo!) sobre recentes pesquisas que tem sido realizadas. Continuar lendo