Os Corvos e a sua Guerra dos Tronos

Antes de tudo, leitor, clique aqui e deixe a música criar o clima para o texto.

Corvos são animais que para a mitologia e literatura se encontram em um espaço limítrofe entre o mundo espiritual e o mundo real, das religiões pagãs até “O Corvo” de Allan Poe, eles são vistos em geral como detentores do conhecimento místico da morte e, em algumas culturas,  como seres que carregam consigo os maus presságios pelo seu hábito necrófago e a sua cor negra. No seriado Game of Thrones (inspirado na série de livros “As Crônicas de Gelo e Fogo”) a imagem do corvo surge em alguns momentos com a sua habitual ligação mística (“o corvo de três olhos”) e em outros como o grupo de “soldados” servindo para sempre na solidão da muralha, protegendo o continente, um exército formado pela escória do mundo… E esse cara:

Sem título

Continuar lendo

Anúncios

Nas trincheiras da ciência

Segundo relatos históricos, o primeiro descendente do homem surgiu há seis milhões de anos atrás. Desde então, aprendemos a nos adaptar a natureza e a usá-la como ferramenta para nossos objetivos. O ser humano se desenvolveu em uma criatura capaz de criar e também de destruir. Nossa história é marcada por momentos áureos como o desenvolvimento filosófico na Grécia e o Renascimento na Europa, porém também é marcada por momentos obscuros como os diferentes conflitos violentos e guerras já vividos.

Quando analisamos o desenvolvimento da ciência em relação a esses períodos, observamos um crescimento científico-intelectual muito grande nos chamados momentos áureos e uma profunda depressão nos momentos de guerra, mas será que a ciência realmente é posta de lado nas guerras? A resposta é não, caso contrário, provavelmente, você não estaria lendo este post! Continuar lendo