Brilho eterno de um neurônio sem lembrança

Onde as memórias são armazenadas? Será possível apagá-las?

No filme Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças, Joel Barish (Jim Carrey) decide esquecer sua ex-namorada, Clementine Kruczynski (Kate Winslet). Ele contrata a empresa Lacuna, Inc. que deleta certas memórias do seu relacionamento, em um processo que busca episódios vividos entre os dois e os “deleta”, resultando em um esquecimento gradativo da ex-namorada. Para quem nunca assistiu esse filme, vale a pena. Você pode até mudar de opinião sobre a capacidade interpretativa do Jim Carrey.

Saindo da ficção, seria possível então localizar certas memórias e apagá-las? Esta pergunta vem sendo feita por cientistas há um bom tempo. Continuar lendo

Álcool: dificuldade em parar, problema de memória à vista! (parte 3)

Alcoholism-addictionNos últimos dois posts sobre o álcool, droga de abuso lícita tão comumente usada por muitos e muitos milhões de pessoas, falei um pouco da epidemiologia e dos seus efeitos agudos (Álcool: consumir ou não, eis os seus efeitos), e também mencionei alguns dos fatores que fazem com que um indivíduo possa transitar do uso controlado de álcool para o exagerado (Álcool: se faz alegre, por que se preocupar?). Neste post gostaria de comentar um pouco das explicações científicas atuais (bem recentes meeeesmo!) para o fato de que um indivíduo, já em fase de dependência de álcool, tem grande dificuldade de se livrar do seu uso. Na minha opinião, e de outros cientistas, a dependência de drogas é um processo relacionado à formação de “memórias aberrantes” dos estímulos associados à droga (Torregrossa et al., 2011 – boa revisão!). Quê? Ficou difícil? Vamos explicar com calma! Continuar lendo

Society for Neuroscience 2012: reportando muitas emoções!

Já falamos anteriormente, no post sobre Congressos Científicos, da importância para os pesquisadores e estudantes de pós-graduação de se expor e defender seus resultados para a comunidade científica. Comunicar e discutir os dados com os outros pesquisadores sempre pode, nos seus limites, abrir novas portas e perspectivas para as perguntas que se pretende responder.

Entre os dias 13 e 17 de outubro ocorreu o Society for Neuroscience Meeting 2012 (SFN) em New Orleans, LA, e três membros deste blog tiveram a oportunidade de comparecer para expor e discutir seus trabalhos (Cesar, Karina e Vanessa). Como maior encontro do mundo sobre Neurociências, pensamos que seria interessante trazer aos leitores algumas impressões (apenas uma pitada mesmo!) sobre recentes pesquisas que tem sido realizadas. Continuar lendo