A volta do Macaco Azul: Lutando contra a procrastinação!

0002 29_04_2013 Cada galho com seu macaco Tudo sobre nada

Já falamos de procrastinação em dois textos aqui no Prisma (clique aqui e aqui para ler), e neste último meu, havia prometido que voltaria a falar do assunto. Cumprirei a minha palavra hoje, um ano (e alguma coisa) depois…

No episódio anterior dessa nossa história, simbolizamos a procrastinação com a imagem do macaco azul de Aluízio Azevedo. Pois é, o macaco azul pode ser enganado. E uma das características dele é deixar-nos emocionalmente combalidos.

A maioria das pessoas quando em fase de escrita acabam por ficar irritadiços, desesperados e sem esperança. Pergunte para qualquer um que esteja nesta fase, mas pergunte de longe.
Continuar lendo

O “Macaco Azul” e a (não) escrita nossa de cada dia

Escrever é difícil. Colocar no papel suas ideias de forma compreensível é um trabalho complexo e exaustivo e, a depender do veículo em qual essa sua escrita será publicada, pode até ser metódico, como é comumente a produção de um artigo científico.

A vida de um cientista está totalmente relacionada com a escrita e dificilmente ao seguir esta carreira será possível se desvencilhar dessa ação. Livros, artigos, resumos, pôsteres, relatórios, provas, aulas e uma infinidade de pequenos textos deverão ser produzidos nos anos que se seguirão aos seus primeiros passos por este caminho.

Continuar lendo

10 coisas que vão acontecer com você na Pós-Graduação – PARTE 2

Sem título

Então sem mais delongas, vamos às cinco últimas coisas que vão acontecer com você na pós-graduação (algumas valem inclusive pra vida acadêmica em geral, desde a graduação até a livre docência).

Se você ainda não leu sobre as 5 primeiras na Parte 1 desse post, clique aqui! Continuar lendo

10 coisas que vão acontecer com você na Pós-Graduação – PARTE 1

Sem título

Mais um da série TOP PRISMA. As 10 coisas que vão acontecer com você na Pós-Graduação.

Antes de qualquer coisa, o objetivo desse post não é espantar aspirantes à pós-graduação. Mas sim, apresentar um pouco da realidade de um pós-graduando. Até porque não é nenhuma novidade que só se mantém na pós-graduação/pesquisa científica aqueles que realmente gostam da área, pois é realmente desafiadora de se progredir. Outra coisa importante é que sempre retrato à pós-graduação strictu sensu.

Continuar lendo

A vida no Limbo

Todos aqueles que um dia optaram por seguir o fluxo normal da pós-graduação (Mestrado, Doutorado, Pós-Doutorado, etc.) provavelmente sabem dos momentos críticos que cada fase possui. No entanto, uma coisa inerente a todas elas são as famosas fases do limbo. Uma menção ao limbo da Igreja Católica, e que se refere ao lugar em que estão as almas de crianças que não se purificaram do pecado original (não batizadas), ou almas de pecadores que aguardam permissão divina para entrar no céu.Image

Continuar lendo

Congressos Científicos

De todas as dificuldades que a escolha de uma vida acadêmica pode trazer, uma vantagem vem, ao meu ver, nos dar bastante glamour e oportunidade: frequentar congressos científicos. Viajar e conhecer pessoas de diversas partes do mundo que tem os mesmos interesses científicos que você é deslumbrante. Os congressos científicos são oportunidades únicas de troca de ideias, sugestões e colaborações.

Em um post anterior discuti sobre O Futuro da Divulgação Científica. Com certeza os meios pelos quais apresentamos nossos dados estão se modernizando. Por outro lado, não acredito que os cientistas deixarão de se reunir para discutir pessoalmente seus resultados e teorias. Existe uma mágica fundamental na ciência que ocorre durante os congressos, simpósios, workshops etc. Segundo Steven Johnson (autor de um video fantástico que questiona a respeito de onde vem as boas ideias: Where good ideas come from), a criatividade e o surgimento de boas ideias são pautados principalmente pela conectividade e pela possibilidade de se trocar “semi-ideias” para se chegar a uma “ideia completa”. Continuar lendo

O Pau de Arara científico

Quico – “Onde você vai, Chavinho?”
Chaves – “Vou fazer mestrado.”
Quico – “Gentalha!!”

Certa vez escrevi um texto com conselhos de como escolher um programa de pós-graduação stricto sensu que se adequasse às necessidades acadêmicas dos estudantes de psicologia. Foquei nestes estudantes somente porque o pedido para escrever este texto veio de colegas e outros leitores do CogPsi, a maiora psicólogos. Todavia, um dos conselhos que julguei mais importante neste texto que escrevi serve para estudantes de todas as áreas do conhecimento que estejam dispostos a seguir carreira de pesquisa e ensino.

Então escrevo hoje visando enfatizar tal conselho, que era o de que a pessoa deveria se libertar do desejo de se manter perto do seu ninho, cercado pelos cuidados maternos e paternos, para poder galgar espaços maiores na vida acadêmica. Confesso, esse texto possui um caráter motivacional e vai acabar passando por cima de alguns pontos que pesam nas necessidades individuais, então consuma com moderação.

Continuar lendo