A morte e os profissionais da saúde

Cena do filme

Cena do filme “O Sétimo Selo”, de Ingmar Bergman

Rituais fúnebres sempre estiveram presentes em diversas culturas e a medida que cada sociedade apresentava aspectos culturais que promoviam disparidade entre tais rituais, estes eram indicativos de um espectro geral das crenças do grupo. Tais crenças seriam representativas de toda a esfera de concepções dessa cultura quando expandida. À sua maneira, cada cultura escrevia a história da relação do ser humano com a morte e assim criava uma estratégia a mais de enfrentamento. Sendo assim, para falar sobre a morte é preciso antes pensar na vida. Continuar lendo

Anúncios

Sobre consciência e inteligência artificial. (Parte 1)

mindMesmo com o avanço dos estudos sobre a consciência, este ainda é um tópico peculiar para as ciências cognitivas. Esse lugar de destaque parece não advir só da complexidade inerente ao assunto, mas também da possibilidade de que, ao descobrir mais sobre ela, se encontre um ponto de destaque para o conhecimento mais aprofundado das nossas propriedades mentais.

Continuar lendo

Procrastinação! Quem nunca?

Sim, eu sofro! Muitas vezes me pego fazendo diferentes atividades que não estão ligadas diretamente com os objetivos a cumprir do meu dia. Talvez escrever esse texto foi uma forma excelente de utilizar a procrastinação para um bem maior. Meu colega aqui do Prisma abordou como a procrastinação pode interferir no processo da escrita (O “Macaco Azul” e a (não) escrita nossa de cada dia, que diga-se de passagem, não é o Gorila da Bola Azul, rs). No entanto, não é só na escrita que a procrastinação pode interferir. E tenho certeza que todo mundo sabe sobre o que estou falando…

Continuar lendo

A moral daqueles que não possuem fé

Um vídeo recentemente retirado de um jornal catarinense e postado no Youtube incomodou diversas pessoas na internet. Não só pelo tema que, por si só, possui uma alta carga polêmica, mas pela opinião contundente expressa pelo jornalista e psicólogo Luiz Carlos Prates sobre a maior quantidade de religiosos do que ateus nas cadeias, inicialmente buscando ir de encontro a uma pesquisa que afirmou que a religião é um dos fatores fundamentais para a felicidade. Um dia falarei mais sobre essa pesquisa, antes de tudo, vamos falar sobre o que acabou sendo o ponto mais crítico do argumento de Prates, a discussão entre moral e religião.

Continuar lendo