Vai querer o que, playboy? – Sais de banho e party pills (Parte 2)

White rushComo dito no texto anterior, as legal highs podem ser classificadas em quatro categorias: similares às anfetaminas, similares aos opiáceos, canabinóides sintéticos e alucinógenos. Nesta segunda parte tratarei das drogas incluídas na primeira classificação. Falarei de duas drogas pertencentes a esse grupo, os sais de banho e as party pills. Continuar lendo

Anúncios

Vai querer o que, playboy? – Novas drogas no mercado (Parte 1)

Quando comecei a graduação não sabia direito o que iria fazer na minha carreira científica, só tinha uma certeza, gostava de drogas (por favor, leia-se gostava de estudar drogas – minha mãe acompanha esse blog). Sempre me fascinou como um comprimido, uma planta ou um pó podiam alterar tudo aquilo que uma pessoa define por percepção. Da onde vinham essas alucinações? Que áreas cerebrais eram ativadas? Por que uma pessoa usa drogas apesar de ter consciência de seus malefícios? Todas essas perguntas ecoavam na minha cabeça.

Há mais ou menos 4 anos atrás tive meu primeiro contato com o mundo da neurobiologia do abuso de drogas quando assisti a apresentação dos resultados do pós-doutorado realizado pela  minha futura orientadora. Meses depois, dei início a minha iniciação científica e comecei a vivenciar a pesquisa com drogas. Aprendi que não se deve olhar para o problema de drogas apenas na situação biológica, mas também em todo contexto que envolve o indivíduo em questão. Assim, o que antes era interesse virou paixão. Continuar lendo